Bariloche no verão

Bariloche no verão

Bariloche é conhecido como um destino de inverno, mas o verão na cidade também é incrível. A paisagem começa a mudar já na primavera, tudo fica mais bonito e colorido. Há diversas tulipas e cerejeiras espalhadas pelo local.

Os verões são bem quentes, quase não há chuva e anoitece bem tarde. Há diversos pontos turísticos que valem a pena ser visitados nessa época. Mas o que tem de tão especial para conhecer no verão?

Para quem quer curtir o verão argentino, o ideal é ir entre dezembro, janeiro e fevereiro. Lembre-se que apesar das temperaturas serem mais agradáveis nessa época, Bariloche fica na patagônia. Ou seja, não espere temperaturas extremamente quentes. Leve um casaco mesmo que você viaje no verão, pois as temperaturas caem durante a noite.

1. Lugares para vistar no verão

1.1 Lago Nahuel Huapi e suas ilhas

Lago Nahuel Huapi e suas ilhas

É o maior lago de Bariloche. Você pode andar de barco se quisere navegar até as ilhas mais próximas. As ilhas ao redor são paradisíacas, cheias de trilha e ideal para quem curte passeios na natureza.

1.2 Cerro Tronador

Cerro-Tronador

O Cerro Tronador é um vulcão com quase 3.500 metros de altitude, sendo assim a montanha mais alta da região. Está localizado perto da divisa da Argentina com o Chile.

É um dos destinos de verão mais procurados pelo turistas, pois não há tanta neve e os visitantes podem subir até a base da montanha. Se você fizer esse passeio no verão, vai conhecer lagos, praias e outros pontos turísticos da cidade.

1.3 Praias

Praias

Na realidade, Bariloche não tem saída para o mar, mas tem diversas praias de lago com águas cristalinas. A água chega a ficar morna em alguns lugares, como no Lago Moreno (embora a temperatura não fique tão agradável quantas as águas do mar do nordeste brasileiro).

A praia mais famosa de todas é a Play Bonita, que conta com uma ótima infraestrutura, como bares e restaurantes.

1.4 Centro cívico

Centro cívico

Para quem gosta de andar pela cidade, não há dúvidas de que é muito melhor viajar no verão do que no inverno. O centro cívico de Bariloche é lindo. Há diversas cafeterias, restaurantes e lojas.

1.5 Ecoturismo

 

Há diversas trilhas e esportes de aventura para você praticar em Bariloche e nas cidades vizinhas. Você pode andar de caiaque e praticar windsurf nos lagos da cidade.

Não faltaM opções para quem gosta de trilhas. Algumas podem te levar a lugares mais isolados.

2. Quanto tempo ficar em Bariloche

Quanto tempo ficar em Bariloche

O ideal é ficar no mínimo sete dias, para você conhecer todas as atrações e as cidades próximas. Mas caso não seja possível, fique por pelo menos quatro dias.

Outra dica de viagem é ficar cinco dias em Bariloche e mais dois dias em algum lugar próximo, como a Villa la Angostura, um vilarejo de região, que fica às margens de um lago, além de ter ótimos hotéis e restaurantes.

3. Quando é possível ver neve?

Quando é possível ver neve

As estações na Argentina são as mesmas do que no Brasil, ou seja, o inverno em Bariloche começa dia 21 de junho. Apesar disso, no final de maio já é possível ver neve nas montanhas.

Bariloche é um lugar muito frio, mas isso não quer dizer que neve todos os dias durante o inverno. Por isso, para garantir que você vá realmente ver a neve, vá no final de junho e começo de julho ou em agosto, pois a probabilidade de nevar é maior.

No começo de junho, já é possível subir no Cerro Catedral, andar de teleférico ou até mesmo brincar com a neve que está se acumulando. No mês de setembro, as montanhas ainda possuem neve acumulada, mas a probabilidade de vê-la caindo diminui.

4. Circuito Chico

O circuito Chico é um passeio terrestre e um dos mais recomendados para turistas. É uma espécie de tour, que vai te mostrar um pouco mais de Bariloche e seus arredores, além de belas paisagens.

O passeio dura cerca de quatro horas, podendo ser realizado de manhã ou à tarde. Os turistas percorrem cerca de 65 km às margens sul do lago Nahuel Huapi. Você vai realizar algumas paradas durante o tour, para conhecer pontos estratégicos.

As paradas clássicas do circuito começam no Cerro Campanário, no qual é possível andar de teleférico e até mesmo ver a cordilheira dos Andes. Após sair do Cerro Campanário, você irá passar pelo Punto Panorámico, Capela de San Eduardo, Hotel Llao Llao e Fábrica de Rosa Mosqueta.

5.Navegação a Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes 

Navegação a Ilha Victoria e Bosque de Arrayanes 

Um dos passeios de barco mais tradicionais na região. A Ilha Victoria é a maior ilha do lago Nahuel Huapi. O passeio começa em Puerto Pañuelo, que está á uma distância de 25 km do centro de Bariloche.

A embarcação no qual você irá fazer o passeio, tem três andares e capacidade para suportar até 300 passageiros. No porão da embarcação, há uma antiga sala que funciona como um museu.

Na Ilha Victoria, há diversas trilhas, casas históricas, restaurante e muita natureza.

Você também irá conhecer o Bosque Arrayanes nesse passeio, que está localizado na Península de Quetrihue. O bosque tem uma trilha toda de madeira, super acessível para turistas. No final da trilha, você irá ter acesso a uma confeitaria.

6. Rota dos Sete Lagos

A rota dos sete lagos percorre cerca de 110 km entre a Villa la Angostura e San Martín de Los Andes. Como o próprio nome já diz, o turista vai poder ver os sete lagos principais e ter acesso a outros, menos e menos famosos.

Já no início do caminho, as estradas são asfaltadas e é possível ver paisagens exuberantes. Os primeiros lagos que você irá conhecer são o Lago Correntoso e o Lago Espejo Grande.

Após passar por esse lugares, você não vai mais ter acesso a estrada asfaltada. O trecho sem asfalto tem aproxidamente 50 km e é repleto de curvas.

Os outros lagos visitados durante a rota são o Lago Espejo Chico, Lago Falkner, Lago Villarino, Lago Hermoso e o Lago Machónico.

No inverno, algumas partes desse passeio podem não ser realizadas por causa da neve, o que pode tornar o passeio perigoso. Portanto, a melhor época para realizar a rota dos sete lados é de dezembro a maio.

We will be happy to hear your thoughts

Leave a reply